Blog

Blog

Dia do amigo


O dia do amigo no Brasil é comemorado em datas diferentes, e hoje é um dos dias que se comemora esse dia tão especial.

Relembrando a famosa fase “Diga-me com quem andas, e eu te direi quem és” pode mesmo ser verdade.

Dizem que nós somos a média das pessoas com quem nos relacionamos e quando se trata de relações familiares, principalmente com adolescentes, uma das principais perguntas é “Com quem você vai?”

Os jovens normalmente ficam irritados muitas vezes com esse tipo de pergunta, porque, muitas vezes, sentem que seu espaço está sendo invadido, principalmente, porque na adolescência os filhos não gostam muito de se sentirem “vigiados” ou “controlados”. Gostam da sensação de liberdade.

Mas será que os pais tem que interferir?

Um dos maiores desafios é realmente encontrar o equilíbrio e saber dosar a liberdade.

E de fato, é necessário que o jovem, o adolescente tenha um certo nível de independência e privacidade. Mas os pais não podem ceder às pressões dos filhos que querem ser “independentes” aos 14... 15 anos de idade.

Tem pais que controlam o tempo todo e não deixam realmente o jovem nem respirar, mas tem pais que também liberam geral. Não procuram saber com quem está, o que vê na tv, na internet...

⚠Mas cuidado com os rótulos, com o preconceito:É importante trazer essas amizades pra perto da família para conhecer um pouco melhor e não "julgar pelas aparências". Mas, quando for o caso de concluir que a amizade realmente não deve continuar, o mais sábio é não proibir a amizade de imediato, de forma agressiva... nem usar palavras ofensivas para criticar essas amizades.

Muitas vezes os filhos usam o argumento de que os pais são antiquados ou até mesmo que julgam a pessoa sem conhecer, que são preconceituosos... mas é necessário que os pais procurem sim, perceber quando uma amizade está fazendo mal e trazendo mudanças bruscas pro comportamento dos filhos.

Então, quando for o caso de concluir que a amizade realmente não deve continuar, o mais sábio é não proibir a amizade de imediato, de forma agressiva... nem usar palavras ofensivas para criticar essas amizades.

Então, um bom diálogo é necessário.

Divida a responsabilidade com o adolescente, mostrando as mudanças negativas, os prejuízos de determinados comportamentos, as consequências, e ajude para que eles possam chegar às conclusões. Mas caso não aconteça, deve prevalecer a palavra dos pais quando os filhos são menores de idade.

Uma das funções dos pais é realmente guiar os filhos, que ainda não estão prontos para discernir muitas coisas. É necessário dar limites com amor, mas limites também fazem parte da formação do indivíduo para a vida.

✔A família também pode ajudar esse amigo a receber ajuda. Uma boa conversa com os pais ou até mesmo ajuda prática quanto a encaminhamento para conselho tutelar quando o caso for de falta à escola, drogas e outros comportamentos nocivos.

Destaques
Arquivo
Siga-me
  • Grey Instagram Icon

Você gostaria de ler mais sobre algum outro tema? Deixe sua sugestão!

MedClínica 

R. Arthur Bernardes, 87
Centro - Coromandel/MG 

Fone: (34) 3841-1322

MedSquare

Rua Rafael Marino Neto, 222

Jardim Karaiba - Uberlândia/MG

Terapia Familiar e Sexologia

© 2017 por Sarah Martins

Desenvolvido por Dandoor Publicidade